Fazer Compras no Exterior Compensa?

Dar uma volta no shopping pode ser uma das atividade de lazer favoritas do brasileiro, mas não dá para esconder o espanto ao olhar para algumas etiquetas. Roupas, perfumes, eletrônicos e até mesmo uma refeição na praça de alimentação mostram porque o Brasil é um dos países mais caros de se viver. Há quem diga que para não pagar absurdos, o jeito é fazer compras lá fora. Mas, será que fazer compras no exterior realmente compensa?

Compras no exterior

A resposta mais correta é: depende. Com as taxas de câmbio beirando a casa dos R$2,90, é necessário cautela e, de preferência, muita pesquisa e uma calculadora à mãos. Neste cenário, sair para os Estados Unidos, por exemplo, somente para fazer compras deixa de ser uma opção realista para a grande maioria dos casos.  Se a viagem ao exterior for à lazer ou mesmo à trabalho, aí vale a pensa dar uma boa pesquisada para saber exatamente o que trazer. Antes de embarcar, existem três medidas básicas e importantíssimas para você não fazer mal negócio:

1  – Para onde ir?

Os Estados Unidos são o destino mais popular para compra de roupas de grife importadas e aparelhos eletrônicos, principalmente. A Europa dificilmente é um bom destino para brasileiros se esbaldarem em função da taxa de câmbio, principalmente, que faz com que os preços, em média, não sejam vantajosos ante o nosso real. Itens que costumam valer a pena são produtos próprios para o inverno, como botas e casacos. Países da América Latina são uma opção mais rápida e viável para alguns artigos, principalmente Paraguai e Argentina. Por questões geográficas, viajar para Ásia e Oceania apenas para fazer compras não é uma opção, mas em eventual viagem de negócios ou por lazer, alguns países como o Japão são referência para compra especialmente de artigos eletrônicos; ainda na Ásia não pode ficar de fora a China, território dos produtos baratos e que vêm crescendo em qualidade, tornando imprescindível para qualquer consumidor ou comerciante aprender como importar da China.

2 – Quais mercadorias comprar?

Em geral, o que as pessoas costumam trazer de fora são roupas, calçados, perfumes e eletrônicos. Nos Estados Unidos, por exemplo, roupas, calçados, acessórios e perfumes, além de terem valores mais acessíveis nos grandes shoppings centers e malls também são comumente encontrados em lojas tipo “outlet“, o que pode reduzir drasticamente no valor pago em cada mercadoria. Portanto, chegando ao seu destino, vale a pena verificar com pessoas locais as melhores dicas para estes tipos de compras.

É preciso tomar muito cuidado na hora de comprar artigos eletrônicos. Alguns equipamentos mais modernos, sofisticados e principalmente aqueles voltados para uso profissional (câmeras fotográficas, filmadoras, computadores, etc.) podem ainda valer à pena comprar fora, mesmo ante a alta do dólar. O motivo se deve em boa parte às tributações do Brasil (alguns equipamentos podem ter uma tributação de mais de 50%) e em parte também porque o público brasileiro, de certa forma, aceita pagar mais. Se tem mercado, tem mercadoria. Muitas vezes também as especificações técnicas de produtor estrangeiros são superiores à uma versão equivalente vendida aqui no Brasil, portanto, é bom que se fique atento pois às vezes, mesmo que se pague um pouco a mais lá fora, o produto é superior.

3 – O que considerar na hora de comparar os preços?

Naturalmente, acompanhar a oscilação da taxa de câmbio é fundamental para tentar comprar moeda ao melhor custo possível. Além do valor da moeda, é preciso considerar também algumas taxas, em especial o IOF que atualmente está em 6,38% para operações em cartões de crédito e cartões “pré-pagos” de operação internacional. Outro detalhe importante também é considerar que bens muito volumosos ou muito caros (acima dos $500 permitidos pela nossa aduana), estão sujeitos a taxas extras, seja de transporte ou de imposto para entrada no país.

Seguindo essas três medidas básicas você evita sustos na hora de gastar no exterior, encontrando os melhores caminhos para ficar satisfeito e feliz com suas novas aquisições. Uma dica bônus é investir em curso de formação na área de importação, um dos principais e que realmente funciona mesmo é o Fórmula da Importação(http://clubedoimportador.com/formula-da-importacao/), que ensina tudo sobre importação dos EUA e Europa e Dropshipping principalmente da Ásia.

Alerta: Cresce o número de obesos no mundo!

Alerta: Cresce o número de obesos no mundoEstamos em um mundo mais gordo! É o que aponta uma estatística feita pela Cruz Vermelha Internacional. Cerca de 250 milhões de pessoas no mundo apresentam sobrepeso ou obesidade, sendo que quase todos os países sofrem dessa epidemia, inclusive o Brasil.

A falta de tempo e informação adequada levam as pessoas a trocarem pratos saudáveis por refrigerantes, sanduíches e alimentos industrializados. Alimentos que por são altamente ricos em gordura, sal e açúcar e pobre em nutrientes.

No Brasil o excesso de peso em homens adultos saltou de 18,5% para 50,1%, ou seja, mais da metade dos homens adultos estão acima do peso. Já as mulheres saltaram de 28,7% para 48%.

O excesso de peso e a obesidade são encontrados com grande frequência, a partir de 5 anos de idade. E de acordo com o Ministério da Saúde é que a tendência é que o problema piore.

Os problemas que surgem

A obesidade é considerada uma doença crônica caracterizada pelo excesso de gordura no organismo.

O excesso de gordura visceral é considerado um fator de risco maior que o excesso de peso total, pois envolve os órgãos do abdômen. Especialistas apontam que a gordura visceral esta relacionada com doenças graves como diabetes, pressão alta, colesterol alto e doenças cardiovasculares.

Sendo assim, é de extrema importância começar a fazer uma dieta para perder barriga rápido, pois a obesidade também esta ligada ao aumento de alguns tipos de câncer, como o de mama, estômago, próstata e intestino.

Soluções para acabar com essa epidemia

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), nos últimos anos houve um aumento global do consumo de alimentos altamente calóricos e ricos em gordura, sal e açúcar. Ao mesmo tempo, ocorreu uma queda na atividade física resultando em uma população mais gorda e com problemas.

E as soluções para evitar e acabar com essa epidemia é se alimentando bem junto com atividade física. Mudanças como essas podem salvar a vida de milhares de pessoas.

Uma alimentação pobre em carboidratos, gorduras e rica em vegetais, frutas e proteínas é considerada o “caminho” para quem busca de uma vez por todas ser saudável.

As frutas são ricas em vitaminas, sais minerais, fibras, antioxidantes e água, elementos importantes para o correto funcionamento do organismo. Entre esses elementos estão a Vitamina C, que ajuda a aumentar as defesas e a favorecer a cicatrização da pele.

Devido ao seu alto conteúdo em vitamina C, as frutas são uma excelente fonte de antioxidantes, que nos ajuda a lutar contra os radicais livres que envelhecem as nossas células e contribuem para o acúmulo de gordura no corpo.

Já os vegetais são ricos em fibras o que garante uma maior saciedade, fazendo você comer menos do que o habitual. Isso significa que os vegetais são fundamentais em receitas para emagrecer, pois os mesmos são ricos em vitaminas, como a do complexo B.

Ferro, cálcio, fosforo, betacaroteno e potássio fazem parte da lista extensa de nutrientes compostos pelos vegetais. Uma ótima dica é consumir sucos de vegetais como o suco de couve que tem propriedades desintoxicantes e antioxidantes que auxiliam na perda de gordura principalmente da região abdominal, ou seja, suco de couve emagrece e ajuda a perder barriga.

As proteínas são um nutriente encontrado em alimentos, como o ovo, carne ou peixe, que é necessário para pele, ossos, e para o fortalecimento, regeneração e manutenção dos músculos.

Exercícios são fundamentais

Exercícios regulares são fundamentais para combater a obesidade, eliminar as gorduras acumuladas e ajuda o corpo a se sentir melhor no geral. Isso porque o exercício físico diminui o estresse, eleva o humor, melhora a força, movimento, equilíbrio, flexibilidade e ajuda a controlar a pressão sanguínea e açúcar do sangue.

O exercício também ajuda a construir ossos, músculos, articulações saudáveis, ajuda o coração e pulmões a trabalhar melhor e eleva a energia durante o dia e pode ajudar a dormir de noite.

A boa noticia é que para praticar exercícios físicos não é preciso frequentar academia ou morar perto de parques, é possível sim manter a forma dentro de casa, para isso basta praticar os exercícios corretos. Abaixo segue alguns tipos de exercícios que podem ser feito em qualquer lugar, inclusive em seu próprio lar:

É importante começar devagar. O corpo precisa de tempo para se acostumar à nova atividade. E lembre-se prepara o corpo para os exercícios físicos através dos alongamentos.